Arquivos de cip

Baixa inscrição em algumas cidades-alvo do MDM

Há 14 municípios onde a oposição tem sido forte em eleições anteriores e, portanto, tendem a ser alvos de MDM.

Mas em algumas destas cidades o recenseamento eleitoral é muito baixo, nomeadamente em Alto Molócuè com 45 porcento e Gúruè com 34 por cento, ambas na província da Zambézia.

E se ia baixa inscrição é devido ao boicote da Renamo e os eleitores da oposição não estão a se recensear poderia prejudicar as chances do MDM vencer.

Por outro lado, o registo é acima da média em duas cidades que tiveram eleições muito próximos no passado, nomeadamente Quelimane na Zambézia com 77 porcento e Mocimboa da Praia em Cabo-Delgado com 75 porcento.

A tabela anexado apresenta os 14 municípios onde a oposição tem a melhor chance de vencer.

Nacala: Boicote da Renamo reduz o recenseamento?

As autarquias de Nacala-Porto e Ilha de Moçambique são municipalidades na província de Nampula onde a oposição tem sido sempre forte, e poderia ganhar nas eleições autárquicas a 20 de Novembro próximo.

Mas o número de inscrições em Nacala é baixo, em 61 porcento, enquanto que na Ilha é alto em 81 porcento.

No Nacala-Porto, a Renamo reivindica responsabilidade. Segundo o chefe do Partido Renamo, Rafael Gusmau, nenhum membro da perdiz se fez presente nas mesas de recenseamento a mando de uma orientação a escala nacional para boicotar as eleições.

Nas eleições de 2008, nenhum candidato a Presidente ganhou mais de 50% dos votos e houve um segunda volta (venceu a Frelimo) e Frelimo ganhou 20 assentos na Assembleia Municipal e a Renamo 19.

O MDM espera ganhar todos os votos da oposição. Mas se os eleitores da Renamo não se recensearem, o possível voto da oposição é pequeno, e a Frelimo vai ganhar.

Na Ilha de Moçambique, a inscrição é alta apesar de Renamo informou ao seus simpatizantes para não se recensear porque não haverá votação.

O Presidente do Conselho Municipal no mandato da Renamo, Gulamo Mamudo culpa uma “invasão” a Ilha por populares provenientes do distrito vizinho de Mossuril das zonas de Muacone, Matibane, Cabaceira grande e Mossuril vila. E essas acusações foram repetidas por Ana Isabel Npueche, delegada do partido MDM.

Mas nem o MDM assim como a Renamo fizeram qualquer reclamação remetida em algum órgão, quer seja do STAE/CNE ou outro.

Mamudo disse ainda que existe um grupo de jovens simpatizantes da Frelimo chamados “Nucleo Duro”. E esses jovens na hora de votação não deixam votar os simpatizantes e apoiantes dos partidos da oposição. “Este grupo já funcionou nas últimas eleições e foram reportados casos que eleitores que foram aos postos de votação e não conseguiram votar pois eram barrados por estes jovens. E este ano também há sinais de que esta situação se repita”, afirmou.

Actualizados dados do província de Maputo

O Instituto Nacional de Estatística (INE) e o STAE atualizaram recentemente os números de eleitores previstos para província de Maputo. Os eleitores previstos do novo município de Boane, que anteriormente já tinham ultrapassado, foram aumentadas de 15.752 para 46.156 potenciais eleitores. Já foram recenseados 34.948, correspondente a 75,72 porcento.

Isso significa que um pequeno aumento de um universo de 3.598.003 potenciais eleitores previstos para recensear até dia 23 de Julho.

MDM denuncia actos de interferência da Frelimo

O Movimento Democrático de Moçambique- MDM convocou na semana passada (segunda-feira) uma conferencia de imprensa para denunciar actos de interferência do partido Frelimo na cidade da Beira no processo de recenseamento.

Segundo o chefe de mobilização e formação de quadros do MDM, Matateu Fernandes os membros do partido Frelimo tem se deslocado para as brigadas de recenseamento com finalidade de exigir os brigadistas a entregar dados do numero de eleitores já inscritos e obrigar os brigadistas a fechar os postos antes das horas definida para interrupção, como forma de permitir que não hajam maior numero de eleitores a se inscrever.

Para além da cidade da Beira, a mesma situação está a ocorrer nos município de Dondo, Nhamatanda, Marromeu e Gorongoza, disse.

Alguns eleitores ainda enfrentam longas filas em Quelimane

Os eleitores dos bairros contemplados pela brigada de recenseamento da EPC de Coalane, arredores de Quelimane, enfrentam filas longas para serem registadas. Os cidadãos chegam a ficar mais de cinco horas de tempo na fila a espera para se recensearem.

Os fiscais dos partidos políticos dizem que assistem o processo e garantiram que o brigadistas atendem com celeridade admitindo que as pessoas que não vão bem identificadas é que retardam o trabalho.
Mas apesar das filas longas o chefe da brigada, César Boa disse que estavam já no quinto caderno e diariamente recenseiam 120 a 150 pessoas. A meta é de conseguir completar oito cadernos até ao fim e faltam quatro. E por causa da pressão do trabalho o brigadistas são forçados a desligar os computadores por alguns momentos para arrefecimento.

Noutra brigada outrora concorrida, nas proximidades da cidade cimento, Escola 3 de Fevereiro, segundo relatos dos fiscais do dois partidos que participam na preparação das eleições, todos os dias registam-se casos de pessoas que não conseguem recensear por suspeitas de apresentar documento de identificação civil emprestado. De acordo com o fiscal do MDM, Tércio Gomes, a maioria dos suspeitos trazem cédulas e encontram dificuldades na eventualidade de deslizar nas respostas as perguntas sobre sua identidade feitas depois de entregar a cédula ao agente de recenseamento visando testar se realmente o documento é seu ou emprestado. Os fiscais dizem que nunca precisaram de envolver os agentes da policia no tratamento destes casos, porque quando aconselham o suspeitos para esquecer o documento que traz e apoiar-se em testemunhados acatam.

STAE regista 65,2% de eleitores

Clique para abrir um pdf com o Boletim sobre o Processo Político de 17 de Julho de 2013 (.pdf).

Clique para abrir um pdf com o Boletim sobre o Processo Político de 17 de Julho de 2013 (.pdf).

A uma semana para o término do recenseamento eleitoral de raiz o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) registou cerca de 2.344.527 eleitores nas 53 autarquias correspondente a 65,23 porcento de um universo de 3.594.472 previstos por recensear até ao dia 23 de Julho.

Dados fornecidos pelo STAE hoje:

  • Cidade de Maputo recenseou 466.657 eleitores, do universo 716.996, o que corresponde 65,1%.
  • Província de Maputo já registou 333.162 eleitores, do universo de 567.643, o que corresponde a 58,7%.
  • Gaza: 125,839 eleitores, o que corresponde a 79,2% dos 158.933 potenciais eleitores.
  • Inhambane: 119.442 inscritos equivalente a 78,6% do universo estimado em 151.964 eleitores.
  • Sofala: 231.428 eleitores de um universo de 338.793 correspondente a 68,3%.
  • Manica: 159.740 dos 200.811 equivalente a 79,6%.
  • Tete: 126.944 eleitores do universo de 135.808 o que corresponde a 93,5%.
  • Zambézia: 202.434 eleitores dos 384.266 previstos o que equivale a 52,7%.
  • Nampula: 316.054 dos 564.069 eleitores equivalente a 33,8%.
  • Niassa: 53.162 do universo de 157.120 o que corresponde a 56,0%.
  • Cabo Delgado: 161.614 dos 209.000 equivalente a 77,4%.

Novas autarquias

Vila de Boane (Maputo): Foram registados 29.721 eleitores dos 15.752 previstos, 188,7%.
Quissico (Inhambane): 7.447 do universo de 4.784, equivalente a 155,7%.
Nhamatanda (Sofala): 12.016 dos 12.646 eleitores, correspondente a 95,0%.
Sussundenga (Manica): 9.257 dos 9.869 eleitores, equivalente a 93,8%.
Nhamayabue (Tete): 6.642 dos 4.623 eleitores, o que corresponde a 143,7%.
Maganja da Costa (Zambézia): 1.640 do universo de 7.581 eleitores o que corresponde a 21,6%.
Malema (Nampula): 9.793 dos 10.649 eleitores o que corresponde a 92,0%.
Chiure (Cabo₋Delgado): 20.822 inscritos dos 23,923 previstos equivalente a 87,0%.
Mandimba (Niassa): 6.462 do universo de 9.079 eleitores o que corresponde a 71,2%.

Baixa adesão recenseamento eleitoral em alguns postos

Alguns postos de recenseamento estão a registar fraca adesão de eleitores nas províncias de Maputo, Niassa, Inhambane e Zambézia.

Numa ronda efectuada pelo CIP em alguns postos de recenseamento verifica-se brigadistas quase a sonecarem por falta de eleitores para recensearem.

No posto da EPC do Alto Maé (Maputo) os brigadistas dizem que o numero de eleitores que registavam diariamente reduziu drasticamente de 120 a 150 para 80 eleitores.

Na Escola Secundaria Eduardo Mondlane o cenário e quase o mesmo pois já não aparecem os eleitores – apenas alguns alunos desta escola é que se dirigem a mesa uma vez que esta e a ultima semana de aulas. Segundo os brigadistas tem recenseado apenas 60 a 70 eleitores dos 130 anteriores.

No posto da EPC de Mavalane também regista­se fraca afluência chegando a registar apenas 60 eleitores.

Na província de Inhambane acontece o mesmo cenário. Há postos que nestes últimos dias registam faltam de eleitores, nomeadamente Escolas Secundarias 29 de Setembro e 3 de Fevereiro.

Na província da Zambézia a situação verifica-se na EPC de Quelimane e 3 de Fevereiro onde chega a ficar sem um eleitor sequer para recensear.

Metangula: Menores tentam recensear com documentos falsos

Alguns menores residentes na autarquia de Metangula, província de Niassa, ainda tentam se recensear com documentos falsos, nomeadamente cédulas, certidões de nascimento entre outros nos postos instaldos em Thungo e em Micuio.

Nestes postos já foram registados 9 casos de cidadãos que apareceram com documentos falsos ou rasurados sendo quatro em Thungo e cinco em Micuio.

Segundo os brigadistas trata-se de menores instrumentalizados por alguém que até agora e desconhecido. Alguns foram parar no Comando distrital da PRM, onde acabaram sendo libertados por se tratar de menores de idade.

Refira­se ainda que nestes postos os brigadistas queixam­se da falta de subsídios, o que os obriga a trabalharem sem comer das 7 a 16 horas.

Julgamento do repórter do jornal @Verdade adiado

O julgamento do repórter do jornal @Verdade, Sergio Fernando, no Tribunal Judicial da Cidade de Nampula, foi adiado ontem. Fernando foi detido no passado dia 28 de Maio, por alegadamente ter sido encontrado a fotografar cidadãos num dos postos de recenseamento eleitoral na APEA, uma escola privada instalada na Unidade Comunal Samora Machel, arredores da cidade municipal de Nampula.

Fernandes diz que ele era barbaramente espancado por um grupo de agentes da PRM no local, os quais retiraram-lhe todos os seus haveres, nomeadamente documentos de identificação pessoal, um telemóvel, uma máquina fotográfica, tendo sido igualmente encaminhado para às celas da 3ª Esquadra da corporação, onde permaneceu por um período de cerca de três horas. Depois foi indiciado de calunia e difamação as autoridades policiais

O Tribunal notificou Fernandes para responder em juízo segunda-feira, tendo sido adiado para terça-feira, e voltou a sofrer mais um adiamento por decisão da advogada do réu, Angelina Segredo, e não houve julgamento aguardando-se por uma nova acusação do Ministério Publico.

Apenas 56% de eleitores registados até 10/7

Clique para abrir a tabela com os números (.pdf).

Clique para abrir uma tabela de números de inscrição (.pdf).

Com apenas 13 dias para o término do recenseamento eleitoral de raiz apenas 56 porcento dos potenciais eleitores se recensearam até ontem nos 53 municípios, segundo informações avançadas hoje pelo STAE durante uma conferência de imprensa.

As províncias mais populosas de Zambézia e Nampula são as que menos eleitores inscreveram com apenas 44 e 45 porcento.

Na província de Nampula, a participação em Angoche é de 38 porcento e em Nacala-Porto e Nampula 40 porcento .

Na Zambézia, em Gúruè apenas 28 porcento de eleitores foram registados, em Alto Molócuè apenas 33 e Mocuba com 33 porcento respectivamente.

Nos 53 municípios, dos 3.594.472 eleitores esperados para se inscrever, apenas 2.006.185 foram inscritos

 

STAE prevê registar 75% de eleitores

O Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) prevê recensear até o término do recenseamento eleitoral no dia 23 de Julho cerca de 75 porcento dos potenciais eleitores. Segundo o director do STAE, Felisberto Naife, o recenseamento está a decorrer a um ritmo satisfatório.

“Nós acreditamos que vamos alcançar esta meta pois nestes poucos dias que faltam para o fim todos os postos já começam a ter muita afluência de eleitores. Também estamos a fazer a intensificação da campanha educação cívica através de utilização dos meios de comunicação social com reforço do trabalho dos agentes cívicos no terreno”, explicou.

Naife explicou ainda que fazendo uma comparação com os processos anteriores, por exemplo em 2008, o recenseamento foi realizado em quatro meses e meio e ainda houve período de actualização de 30 dias.

“Por isso estes níveis quer nos alcançamos em 47 dias são níveis muito positivos”, sublinhou.

Refira­se que neste momento o STAE está a trabalhar com o calendário existente tem o registo até ao dia 23 de Julho mas caso aconteçam eventuais situações no momento o STAE proprio verá como fazer pois o calendário é muito apertado.