Arquivos de Julho 2013

Global Voices: Every Mozambican Can Be an Independent Electoral Observer

O Global Voices reportou:

Armed with mobile phones, more and more people in Mozambique are monitoring the run-up to the country’s fall municipal elections, helped along by an online platform from newspaper @Verdade.

[Editor's note: The author of this post is working with @Verdade on this project]

Wider access to mobile technology throughout Mozambique is enabling a national network of citizen reporters to monitor the electoral process leading to the African country’s municipal elections in November 2013.

Collaborations between advocacy and media organizations are providing online platforms for people to report problems as well as successes in the run-up to the fall vote. During the country’s two-month-long voter registration coming to a close at the end of July 2013, Mozambicans grabbed their mobile phones to send stories and reports from throughout the vast territory.

Mozambicans who are planning to vote in the elections on November 20 had from May 25 to July 23 to get a new voter ID card. A reported 85 percent [pt] of the 3,598,003 eligible voters received theirs during that period, and turnout considerably increased in the last days throughout the more than 2,000 voter registration posts spread around the 53 municipalities that are going to the polls this year.

As expected, the first phase of the electoral process met quite a few technical, structural and human challenges. Hundreds if not thousands of reports were gathered in a liveblog Recenseamento ao Minuto (Registration up to the minute) [pt] on the website of newspaper @Verdade, the most read newspaper in the country.

In the last day of the electoral registration process, at the primary school of Alabazine in Maputo, the process is moving smoothly. Photo by Miguel Mangueze for @Verdade on Flickr (CC BY 2.0)

“In the last day of the electoral registration process (July 23), at the primary school of Albazine in Maputo, the process is running smoothly”. Photo by Miguel Mangueze shared by @Verdade on Flickr (CC BY 2.0)

Reports, such as that of Nazarete Reginaldo, an observer in Beira, were included. Reginaldo took stock [pt] of the previous 60 days when the registration process finished:

primeiro os aspectos negativos constatados avaria constante das maquinas desde o momento inicial ate ao fim, isso em quase todos os postos observados.
O segundo aspecto, que também aconteceu em todos postos, foi a rejeição de outros documentos como Cédula Pessoal, antigos cartões de eleitor e presença das duas testemunhas.
A fraca afluência aos postos até a penúltima semana também é outra situação a lamentar.
Outra constatação é de vários postos onde muitos cidadãos não puderam recensear-se no ultimo dia, embora estivessem presentes até a hora prevista do fecho.
Aspectos positivos destaco o não registo de actos de vandalismo com excepção do ultimo dia, na EICB. (…)
Na EPC 12 de outubro os brigadistas sensibilizavam as pessoas de como se portarem no acto do processo. Registaram-se vários cortes constantes de energia que atrasaram o reecnseamento.

first, the negative aspects observed: constant failure of the machines [computers and printers] from the initial moment till the end, that in almost all stations observed.
The second aspect, which also happened in all stations, was the rejection [by the officials] of other [eligible registration] documents such as the Personal Certificate, old voter cards, and the presence of two witnesses.
The low turnout until the penultimate week is also another situation to regret.
Another finding is that there were several posts where many citizens could not register on the last day, although they were present until the expected time of closing.
I highlight the positive aspects of non-registration of acts of vandalism with the exception of the last day, the EICB. (…)
In the Primary School on October 12, officials sensitized people on how to behave in the act of the [registration] process. There were several and constant power cuts which delayed the registration.

Last day of the electoral registration in Nampula, APAE station. Photo shared by @Verdade on Flickr (CC BY 2.0)

Last day of the electoral registration in Nampula, APAE station, July 23. Photo shared by @Verdade on Flickr (CC BY 2.0)

The newspaper is using liveblogging platform Citizendesk, which was awarded by the African News Innovation Challenge in November 2012 and is being developed by Sourcefabric, a non-profit organization that develops open source tools for journalism. Citizendesk gathers different sources such as SMS’s, posts from Facebook, tweets, photos, videos, and online content in general, allowing for “newsrooms to incorporate citizen reports into their news stream, to act as eyes and ears for the upcoming elections”, as Rebecca Chao from Personal Democracy’s WeGov puts it on her article ”Journalists in Mozambique Have a New Way to Get Help Reporting on Elections”.

Messages left by passers-by in the People´s Wall of Maputo - an extensive outer wall of the building housing @Verdade Newspaper  - are transcribed to a blog and vice-versa: a selection of online messages is posted in print in the wall.

Bridging the digital gap: @Verdade posts a selection of citizen reports about the registration process in its weekly print and also in the outer wall of the building housing the newspaper. Passersby can leave their comments which will later be transcribed online.

@Verdade launched a joint newsroom in the beginning of the registration process, partnering with the Public Integrity Center and the Observatório Eleitoral (Electoral Observer) for broader access, outreach, and coverage of citizen stories from across the country. CIP has correspondents in the municipalities and has long experience covering Mozambican elections mainly through its Political Process Bulletin. Observatório Eleitoral is a watchdog from the civil society that counts on 265 observers spread around the country.

After three days trying to get her voter card, Celina Simão, from Nampula, was happy when she finally managed to get it, at the primary school of Barragem, on June 5. Celestino Armando, from Pemba, got his at the secondary school of Cabo Delgado´s capital. Click the image to see @Verdade´s photo albuns on Flickr.

After three days trying to get her voter card, Celina Simão from Nampula was happy when she finally managed to get it at the primary school of Barragem on June 5. Celestino Armando from Pemba got his at the secondary school of Cabo Delgado’s capital. Click the image to see @Verdade´s photo albums on Flickr.

The challenge is to create and strengthen a national network of citizen reporters who make use of their mobile phones to share spontaneous reports of what they observe. Jessica Weiss from IJNet explains how @Verdade and partners are building community:

(…) visiting municipalities and polling stations and trying to engage community correspondents. They are also reaching out to local civic networks, community radio stations, international election monitors, taxi drivers and more to help form a web of reliable information about how the registration process is working.

Citizens are helping to answer questions such as: Are polling places open? Are officials present and voters free of intimidation? Is the equipment functioning correctly?

Last day in Maputo. Photo shared by @Verdade on Flickr (CC BY 2.0)

Last day in Maputo. Photo shared by @Verdade on Flickr (CC BY 2.0)

Citizen reporters can submit photos and videos via Twitter — the hashtag #autarquicas2013 has been widely used and the handle @DemocraciaMZ is tracking democracy related tweets — or send them by email directly to @Verdade’s Flickr and YouTube channel.

So did André Salmone from the northern city of Nampula, who denounced in a video on July 22 that officials from the registration post in the city’s Sports Pavilion were allegedly taking bribes from people who didn’t want to wait in queue for their turn to be registered:

Citizens also reported on the civic awareness campaign which was carried out throughout the country by more than 2,000 agents trained by the government’s Technical Secretariat for Electoral Administration (STAE). Some criticized the campaign for not being visible, effective, or with enough quality, such as a citizen who reported a photo of STAE’s poster in the municipality of Marrupa, which wasn’t more than a lousy and torn handwritten paper on the wall.

Civic education agents for the electoral registration in the municipality of Catandica on June6. Photo shared by @Verdade on Flickr (CC BY 2.0)

Civic education agents for the electoral registration in the municipality of Catandica on June 6. Photo shared by @Verdade on Flickr (CC BY 2.0)

@Verdade’s side website euVoto (I Vote) [pt] gives support to those who want to participate in the “We Are All Observers” campaign by sharing tips, manuals for observers, and laws related to the elections. It also serves as a portal for those who just want to be better informed about the elections. CIP’s Political Process Bulletin is there available in the shape of a blog instead of the usual .pdfs.

Primary school Mavalane "A", municipality of Maputo, June 1. Photo shared by @Verdade on Flickr (CC BY 2.0)

Primary school of Mavalane “A”, Maputo, June 1. Photo shared by @Verdade on Flickr (CC BY 2.0)

The next phase [pt] of 2013′s electoral process in Mozambique, consists of the registration of political parties, coalitions of parties or groups of citizens who want to run for elections (ongoing until August 6). At the same time, the lists of voters who registered in the 53 municipalities will be available for verification and complaints should there be any irregularity, also until August 6. More and more, Mozambican citizens are showing how to keep the process accountable.

85% de eleitores recensearam para votar

Clique para abrir a tabela do recenseamento na íntegra das 53 autarquias (.pdf).

Clique para abrir a tabela do recenseamento na íntegra das 53 autarquias (.pdf).

Uma onda de eleitores na ultima semana de recenseamento foram registados chegando a atingir 85 porcento dos potenciais eleitores para as eleições municipais a 20 de novembro próximo.

Algumas províncias tiveram um baixo registo, nomeadamente Zambézia (64%), onde Gúruè inscreveu apenas 40%, Alto Molócuè 51% e Mocuba 53%. A província de Nampula também foi baixa, com 80 por cento, a cidade de Nampula em 75% e Nacala-Porto em 76%.

Das 53 autarquias no país, 24 conseguiram ultrapassar a meta prevista. E nove dos 10 novos municípios recensearam mais de 100% dos eleitores esperados, mas que poderia simplesmente reflectir subestima pelo STAE. Foi mais difícil fazer boas estimativas em curto prazo para novas autarquias.

Mas a província de Tete tinha um registo de 120%, e algumas questões serão levantadas sobre o elevado nível de registo em 15 dos 43 municípios que foram para as eleições de 2008, que registou mais de 100% de eleitores do que o esperado. Com bons dados do censo e registos eleitorais anteriores, as estimativas do STAE deviam ter sido muito precisas. Alguns foram muito elevados tais como:
+ Ulongue (Tete) 247%
+ Manklakazi (Gaza) 204%
+ Marrupa (Niassa) 200%
+ Massinga (Inhambane) 142%
+ Catandica (Manica) 144%
Nesses municípios, muitas pessoas de fora dos limites se recensearam?

 

CNE não usa o site

A CNE tem um site (http://www.stae.org.mz/), mas raramente é usado. O calendário eleitoral não foi publicado (que está disponível em nosso site) e não publicou a decisão sobre os procedimentos para os candidatos. Essa foi a deliberação 26 este ano, mas apenas três deliberações estão no site. Pela primeira vez, a lei eleitoral especifica a utilização do site, mas este ainda não está a ser feito.

CNE Publica procedimentos de inscrição e apresentação de candidataras

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) publicou esta semana os procedimentos formalidades relativos às inscrições dos proponentes e da apresentação de candidaturas para as eleições autárquicas de 20 de Novembro próximo, aprovadas na sessão plenária realizada a 17 de Julho. (Deliberação número 26/CNE/2013)

No rol de requisitos para apresentação de candidaturas, conforme estabelecido na lei, o atestado de residência foi secundarizado, devendo ser exigido apenas se o Bilhete de Identidade ou cartão de eleitor do concorrente não indicar a morada correspondente ao Município pelo qual ele concorre.

O atestado de residência, que comprova a morada do concorrente, foi várias vezes contestado pelo partidos políticos da oposição, que consideram ser difícil obter o documento. O atestado é emitido pelos secretários de bairro, figuras associadas ao partido no poder, acusadas por representantes de partidos políticos da oposição de dificultarem a emissão do mesmo para os seus candidatos. Nas últimas eleições autárquicas, candidaturas foram reprovadas devido à falta de atestado de residência.

Os requisitos são:

+ fotocópia autenticada do bilhete de identidade ou, na sua falta, da certidão ou boletim de nascimento,

+ fotocópia autenticada do cartão de eleitor ou documento que atesta estar inscrito no recenseamento eleitoral actualizado,

+ certidão do registo criminal,

+ declaração de aceitação de candidatura e do mandatário da lista, e

+ declaração do candidato, ilidível a todo o tempo, da qual conste não se encontra abrangido por quaisquer inelegibilidade e não figura em mais nenhuma lista de candidatura.

De acordo com a deliberação da CNE, sendo as listas dos candidatos apresentadas por coligações de partidos políticos ou de grupos de cidadãos eleitores concorrentes, é obrigatória a indicação do partido político ou do grupo de cidadãos eleitores concorrentes que propõe cada um dos candidatos.

Ainda, exige-se que a lista nominal dos apoiantes de candidatura ao cargo de presidente do conselho municipal contenha um número de assinaturas equivalente, no mínimo, a um por cento do universo de cidadãos eleitores recenseados na respectiva autarquia.

Para se candidatar os concorrentes apresentam as listas de candidaturas pelos munícipes em que concorrem perante a Comissão Nacional de Eleições.

O processo de candidatura é recebido pela CNE a nível central e pelas comissões provinciais de eleições a nível das províncias onde decorre o processo eleitoral autárquico.

A CNE adverte que só será recebido o processo de pedido de inscrição ou individual que estiver devidamente instruído com os documentos indicados na deliberação.

A candidatura que não for acompanhada do respectivo processo individual ou não conferir com os documentos comprovativos da sua identificação, considera-se inválida e consequentemente a candidatura é considerada como não tendo sido apresentada, devendo ser devolvida por insuficiência de documentos.

Assim, de acordo com a CNE, as reclamações relativas à candidatura são reduzidas a escritos e seguem os termos legais de contencioso eleitoral.

Processo de inscrição dos partidos já em curso

O processo de inscrição dos partidos políticos, coligações de partidos políticos e grupos de cidadãos eleitores proponentes legalmente constituídos, que pretendem concorrer para as eleições autárquicas de Novembro próximo já está em curso.

O mesmo, que arrancou na terça-feira, deverá terminar a 6 de Agosto próximo, ao que se seguirá a apresentação de candidaturas de 7 de Agosto a 6 de Setembro.

De acordo com as normas e procedimentos divulgados pela CNE, a inscrição ocorre mediante a apresentação de um requerimento dirigido ao Presidente da CNE, manifestando o interesse em participar nas eleições.

Os partidos políticos, coligações de partidos políticos e grupos de cidadãos eleitores proponentes de candidaturas devem apresentar no acto de inscrição, os respectivos estatutos em escritura pública, boletim da República ou em brochura oficial ou autenticada pelo notário, certidão de registo emitida pela conservatória dos serviços centrais de registo civil, a sigla, símbolo e denominação do mesmo em folha A4.

Os grupos de cidadãos e as coligações devem designar os titulares dos órgãos de direcção ou de coordenação, enquanto os partidos políticos devem apresentar a lista dos membros de direcção. Ainda, devem apresentar um documento comprovativo da decisão colegial tomada pelo órgão competente do grupo de cidadãos ou coligação de partidos políticos, pela qual manifesta o interesse inequívoco de participar no processo eleitoral, bem como deve ser apresentada a documentação do mandatário, exigida por lei.

Desmandos marcam o último dia do recenseamento eleitoral

Longas filas e desmandos, perpetrados por brigadistas, marcaram o último dia do recenseamento eleitoral em quase todos os postos instalados nas 53 autarquias do país.

Numa ronda efectuada pelo CIP aos postos de recenseamento verificava-se longas filas e muita confusão entre os cidadão que estavam a espera para se recensear o os brigadistas que estavam impacientes.

Em Maputo, o recenseamento prolongou-se para além da hora prevista, nas brigadas da EPC Julius Nyerere e EPC Acordos de Lusaka (Cutema) devido enchentes de ultima hora.

Na Escola Primaria Completa de Quelimane (EPC), onde anteriormente, brigadistas passavam mais tempo empoleiradas nos muros, por escassez de pessoas para recensear, a partir de 2 feira, a tendência foi de presenca constante de eleitores, que em alguns casos, eram obrigados a ter que esperar na fila.
Na cidade de Nampula, os brigadistas de alguns postos de recenseamento em funcionamento, encerraram o processo mesmo com cidadãos na fila ainda por recensear. Desta forma, os brigadistas contrariaram as ordens do STAE de encerrarem os postos apenas depois de inscrever o último potencial eleitor da fila.

Na EPC Parque Popular, o supervisor mandou embora as pessoas que se encontravam no local e, obrigou os operadores das máquinas a desligarem o equipamento e encerrarem o processo.

O mesmo correu no posto localizado no Pavilhão dos Desportos, onde os agentes alegavam que as pessoas gostam de deixar os actos eleitorais em último plano e o seu horário já tinha sido cumprido.

Em Dondo (Sofala), concretamente na EPC 25 de Setembro, localizado no bairro de Mafarinha, muitos eleitores ficaram impedidos de se recensear por alegada desconfiança de não residirem na área que será abrangida pelas eleições autárquicas. Os mesmos, aglomerados, se manifestaram, acusando os brigadistas de má-fé ao não aceitarem que se recenseassem.

Cadernos eleitorais em exposição

Depois do fim do recenseamento, a lista dos eleitores inscritos nos postos de recenseamentos distribuídos pelas 53 autarquias serão publicadas para a verificação da conformidade dos dados e apresentação de reclamações em casos de irregularidades.

O processo que decorre desde 23 de Julho, deverá terminar a 6 de Agosto próximo, e os eleitores que se registaram são convidados a ir consultar tais listas.

Nampula: STAE diz que foi o ‘pior’ processo de todos os tempos

A directora provincial do STAE em Nampula, Isabel Tirano, considera que apesar do alcance de resultados de recenseamento, que globalmente rondam os 75 por cento em todos os sete municípios, o processo em si, foi um dos “piores e de dor de cabeça”, comparativamente aos anteriores.

Nas sete autarquias da província de Nampula, previa-se registar um pouco mais de 600 mil potenciais eleitores.

Para Tirano, as causas que contribuíram para o não alcance das metas estão ligadas à chegada tardia do equipamento de registo, o que condicionou a alocação pelos postos de recenseamento, avarias constantes de alguns computadores, aliada à incompatibilidade das impressoras.

A falta de domínio no manuseamento do equipamento informático por parte dos brigadistas ao longo das duas primeiras semanas do processo, foi arrolado por Tirano, que reconheceu que tal contribuiu para desmotivar os cidadãos.

Tirano disse ainda que face a esta situação foram tomadas algumas medidas para minimizar os problemas, uma das quais foi a alocação de mais meios informáticos, com vista a reforçar o funcionamento das brigadas.

Alguns números preliminares

Baixo

  • Mocuba: 52 mil inscritos, dos 100.022 eleitores previstos, equivalente a 52.19 por cento;
  • Alto-Molócuè: 20.600 inscritos, dos 40.416 previstos, correspondente a 49.60 por cento;
  • Gurue: 35.800 inscritos, dos 91.067 eleitores previstos, o correspondente a 40 porcento;

Médio

  • Quelimane: 103.600 inscritos, dos 120 mil previstos, equivalente a 84 por cento;
  • Milange: 17.400 inscritos, dos 22.014 previstos, igual a 79.31 por cento ;
  • Cidade de Inhambane: 34.527 inscritos, de 41.505 previstos, equivalente a 83.19 por cento;
  • Marromeu: registados 21.109 a 77.7 por cento.

Acima da média

  • Vilankulo: 24 mil inscritos, de um total de 27.079 previstos, o que corresponde a 93.3 porcento das projecções;

Muito alto

  • Gondola: 22.924 inscritos, de 18.156 previstos, equivalente a superação da meta em mais de 26.3 por cento;
  • Mueda: 19 mil inscritos, de 15.830 previstos
  • Catandica: 16.423 inscritos, contra 11.349 previstos.

UE exige CNE mais transparente

Clique para abrir o resumo do relatório da UE (.pdf).

Clique para abrir o resumo do relatório da UE (.pdf).

A missão de acompanhamento eleitoral da União Europeia (UE) instou a uma maior abertura por parte da Comissão Nacional de Eleições (CNE), incluindo a publicação de todas as deliberações e reclamações apresentadas por partidos políticos e não só.

Estas recomendações foram publicadas num relatório elaborado pelos integrantes da missão, encabeçada por Fiona Hall, membro do Parlamento Europeu, que liderou a equipe de observação da UE em 2009. A missão visitou o país em Maio último

O relatório recomenda:

+ A CNE poderia publicar e manter uma lista actualizada de todas as reclamações apresentadas e do seu estado.

+ A CNE poderia manter canais de comunicação abertos através de reuniões regulares e sistemáticas com os partidos políticos, organizações da sociedade civil e policia.

+ Todas as deliberações da CNE poderiam ser imediatamente tornadas públicas através do sitio da internet da CNE e através dos meios de comunicação.

+ Os partidos políticos poderiam beneficiar do acesso à lista de eleitores antes do início da campanha eleitoral.

O relatório também diz: “O papel desempenhado pela policia nos processos eleitorais necessita de ser revisitado e claramente definido.”